Quer saber o que está acontecendo por aí? Receber promoções exclusivas? Deixe seu email.

segunda-feira, 28 de março de 2011

Clube da Luluzinha

Sábado passado eu fiz uma das coisas que mais adoro nessa vida: comprei uma roupa para presentear uma aniversariante que completou 12 meses de vida. Comprar roupa para menina é uma delícia.

Há pouco mais de sete meses atrás, eu virei mãe de um adorável menino. Mas nunca escondi de ninguém aqui que as opções de roupas para elas superam em variedade e intensidade as opções para eles. Tem muita gente boa fazendo moda para meninos e um dia eu falarei só sobre essas pessoas. Hoje... viverei no paraíso feminino da moda para bebezinhas.



Particularmente neste último final de semana, eu comprei meu presentinho fashion na Just Kidding. A loja de Botafogo é espaçosa e tem uma seção só de outlet, onde você consegue comprar itens da coleção anterior sem se arrasar com o cartão de crédito.

A marca começou a desenvolver uma linha tímida para meninos, mas o forte deles é mesmo a moda para pequenas mocinhas.

Outra paixão fashion é a Maria Florzinha.
Se as peças produzidas coubessem em mim, eu empenhava as jóias pra comprar as coleções todas!

Mas brincadeiras a parte, o site merece a visita. As batas, calças, vestidos são preciosos nos detalhes, delicados e viciantes.

Eu sou muito fã de ambas as confecções. Nada mais inspirador do que moda feita para baixinhas cheia de qualidade e criatividade.

Visite os sites e depois me conte.
;-)

Roberta.
baixomamae@gmail.com

domingo, 27 de março de 2011

A Tribo dos Bunda-Vermelha

A maternidade modifica uma mulher em diversos sentidos. Eu sempre fui uma pessoa muito racional, tendo uma mão no bolso e outra na consciência. Ou seja: gasto dinheiro, mas com bom senso. Foi um trabalho de anos, afinal de contas, eu nasci mulher.

Na gravidez, eu não sofri de nenhuma das mazelas que são comuns às mulheres em estado interessante: enjôos sem motivo aparente, desejos inoportunos, quedas repentinas de pressão, vômito... Em compensação... passei a ter comichão!

Toda vez que alguém me dizia: "ah, você tem que comprar isso pro seu bebê, e tem que ser do modelo mais caro, afinal esse que é o bom...", eu ficava aflita! O bolso coçava, as mãos suavam e eu ficava com aquele... comichão! E pensava: "ai, meu Deus, eu tenho que ter isso, eu tenho que ter, eu tenho que ter!!!".

Um belo dia alguém me falou do Hipoglós americano, chamado de Balmex.

"Olha, é muito melhor, você vai ver a diferença quando usar no seu filho, arranja alguém que traga lá de fora pra você!"

Eu logo comecei com o formigamento subindo pelas pernas, aquele nervoso, suor nas mãos... Aí retomei o controle sobre meu corpo e pensei: realmente, esse produto deve ser a melhor coisa que já apareceu nessa Terra. Não duvido mesmo. Mas olha só que sentimento escravizante esse do eu-não-posso-não-ter-isso. E quem não tem como trazer de fora? Não está fazendo bem ao seu filho? É isso? Não é bem assim, né...

Até onde eu sabia, dois produtos disputavam o mercado brasileiro da prevenção de assaduras: O Dermodex Prevent e o Hipoglós, nas versões original e Amendoas.

Ambos me incomodam terrivelmente pelo mesmo motivo: são tão aderentes à pele, que só saem com reza forte ou se removermos cirurgicamente. Dessa forma, previnem com eficácia a assadura, mas se cairem na roupa, vai pra macumba ou pro centro cirúrgico. E são difíceis de espalhar, não deslizam pela pele... Particularmente, não gosto. Mas reconheço que, para os longos períodos sem troca de fralda, como à noite, são boas opções.

Assim, fui criando uma fórmula híbrida de proteção, a fim de evitar que o Pedro entrasse para a tribo dos Bunda-Vermelha: à noite, era sempre o Hipoglós Amêndoas.

Durante o dia, eu usava o Bebê Vida, da Davene. Eu não conhecia esse produto e nem sou muito fã da marca, mas como ganhei um tubo dele no kit que a maternidade me deu, acabei testando.

Olha, era uma seda... Deslizava super bem e em termos de prevenção de assadura, cumpriu o que prometeu com propriedade.

O problema foi quando o tubo do Bebê Vida acabou e eu tentei comprar outro. Foi uma novela!!



Eu acabei achando no site da Droga Raia, que entrega em casa com taxa de delivery bem em conta. Um ótimo negócio!!

Mas como é sempre importante ter opções, comecei a testar alguns produtos de fabricantes confiáveis. Um creme de prevenção de assaduras mais caro, mas de altíssima qualidade, é o da alemã Weleda:

A mãe que quer o top dos cremes para o seu filho e não tem como trazer nada de fora do país, pode ir fundo no BabyCreme da Weleda. Seu bebê não vai saber o que é assadura nessa nem nas próximas dez encarnações!!

Agora é possível adquirir um produto bom, por um preço mais em conta. Nesta categoria, entra o Proderm Creme.




Não é dos mais caros. Então garante a proteção que seu baby merece, sem que você tenha que penhorar suas jóias para comprar. Como dizem por aí, é uma opção bem honesta...

Esses foram os produtos que eu conheci. Acho que a fórmula para fugirmos da escravidão dos produtos líderes de venda ou importados é essa: conhecer, investigar, testar. Só assim eu consegui evitar que meu baixinho entrasse para a desagradável tribo dos Bunda-Vermelha...

Roberta.
baixomamae@gmail.com

terça-feira, 8 de março de 2011

Bebê Viajandão

Depois que eu entrei no universo das mamães, eu percebi que duas coisas envolvem as crianças: as coisas simples e as coisas criativas.

Na categoria simples entram os papéis que embrulham os presentes que eles ganham, assim como as caixas de papelão de onde sairam os brinquedos/roupas. Na categoria criatividade para crianças um pouco maiores, vou recomendar uma preciosidade: o livro Maria Passarinho, da escritora Teca Barcellos. Segue flyer com info sobre a tarde de autógrafos:



Não pense que este livro é apenas para crianças, não. Nas palavras da autora, foi escrito para pessoas de 2 a 80 anos.

E aí, vai perder?

Roberta.
baixomamae@gmail.com

sexta-feira, 4 de março de 2011

Disco Voador

Uma das marcas mais populares de mamadeira é a inglesa Avent Phillips. Realmente, o produto é tudo de bom: BPA free, de fácil limpeza, alta durabilidade - suportando muitas idas ao esterilizador sem apresentar avarias, e propõe a diminuição da cóolica.



A meu ver, falta à Avent Philips uma única coisa, mas fundamental: o disco de vedação. É chato querer chacoalhar a mamadeira para dissolver o leite e ter que cuidar para não chacoalhar muito senão sai leite pela lateral da rosca do bico...

Trata-se de um item importante e que faz parte de mamadeiras de diversas marcas vendidas no mercado, desde as mais baratas como a Nuk, até as de primeira linha, como a americana Dr Brown's.

A Avent Philips até vende um pacote com 6 peças, mas é tão raro, que assim como os OVNIs, nós contamos nos dedos da mão as pessoas que tiveram seus contatos imediatos. Na Amazon tem, mas
é preciso achar alguém que vá para o exterior, pois eles não entregam aqui.


Eu encontrei como opção o disco de vedação da marca MAM, outro bom fabricante de mamadeiras. É claro que não encaixa com a mesma facilidade que o disco da própria Avent Philips.

Para mamadeiras não há padronização de tamanhos - assim como para carregador de bateria de celular e rosca de lente de câmera fotográfica. Cada fabricante escolhe o seu padrão próprio e obriga o consumidor, desta forma, a fidelizar com seu produto.

Portanto, para a mãe que não consegue viver sem o disco de vedação mas ainda não fez nenhum contato imediato de 3° grau, eu sugiro tentar usar o disco da MAM. Não é caríssimo, não é difícil de achar, não é nenhuma maravilha no corpo Avent Philips, mas quebra um galho.

Roberta.
baixomamae@gmail.com